Crítica: Meia Noite em Paris

“I can never decide whether Paris is more beautiful by day or by night.”

Uma verdadeira poesia a eterna cidade luz. Meia Noite em Paris é o mais novo filme do mestre Woody Allen (escrito e dirigido), que desta vez se aventura na França.

Um casal formado por Owen Wilson e Rachel McAdams (excelentes no papel) estão em visita à Paris, alguns meses antes de seu casamento. Enquanto Gil (Owen) esta enfrentando um bloqueio criativo e prefere caminhar sozinho pela cidade, Inez (Rachel) se diverte com dois amigos que acabara de encontrar. Gil, certa noite, embarca em um carro a meia noite, que o leva ao passado, onde conhece e tem a chance de conversar com seus escritores preferidos como Hemingway, e encontrar famosos artistas da época. Nesses passeios, é conduzido pela fantástica Adriana (brilhantemente interpretada por Marion Cotillard, de Piaf)  que o ajuda a reacender a chama de sua veia literária, afim de conseguir finalizar seu romance,

Woody Allen, não tenta explicar como acontecem essas viagens no tempo, e sim, foca exclusivamente no desenvolvimento dos personagens e seus dilemas, afinal, você já deve ter se imaginado na era do ouro – uma época que julga ter sido a melhor de todos os tempos – neste caso, os anos 20.

A fotografia é um show a parte, note a diferença de tonalidade quando o filme esta no presente e depois quando nos remete ao passado. Os quatro minutos iniciais, o filme nos revela os lados turísticos da cidade e alguns outros inusitados. Tudo isso, para nos preparar para essa linda poesia de uma hora e trinta minutos. Um filme sensacional que merece ser visto, recomendo a todos.
Meia Noite em Paris: ****

O filme já foi lançado em DVD e Blu-ray aqui no Brasil. Nos cinemas, foi assistido por mais de 1 milhão de espectadores brasileiros.

Assista ao trailer:

You Will Meet a Tall Dark Stranger

Confesso que Woody Allen nunca foi meu diretor predileto, e por muitas vezes evitei de ver os filmes dele. Mas, ultimamente, venho sendo surpreendido aos pouquinhos. Match Point e O Sonho de Cassandra foram filmes memoráveis. Vicky Cristina Barcelona achei muito bacana. E claro, tem vários outros que eu passei a gostar também.

You Will Meet a Tall Dark Stranger é o seu novo trabalho, que conta com Naomi Watts, Antonio Banderas, Freida Pinto, Josh Brolin, Anthony Hopkins no elenco. O filme estréia hoje nos Estados Unidos e deve chegar ao Brasil em Dezembro.